Teste rápido de COVID-19

Uma doação de 22 kg de máscaras tipo N95, 58 kg de testes rápidos para Covid-19 e 44,5 kg de aparelhos de laboratório, feita pela China ao Distrito Federal, em razão da pandemia de Covid-19, está parada, há um ano e dois meses, no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Destes itens, os 58 quilos de testes rápidos deverão ser destruídos, pois, segundo a Anvisa não foram armazenados na temperatura correta depois que chegaram ao Brasil.

Em 19 de março de 2020, o governador Ibaneis Rocha (MDB) mandou um documento à Embaixada da China, pedindo “assistência de qualquer natureza, especialmente orientações para o combate à doença, doação de suprimentos e equipamentos médicos, além de indicações de empresas que possam colaborar na contenção da pandemia”. Na época, uma empresa chinesa fez a doação para a Secretaria de Saúde do DF.

A doação chegou em maio do ano passado e o GDF não a retirou. Segundo a Receita Federal, a carga foi considerada abandonada (saiba mais abaixo).

O G1 questionou o governo do Distrito Federal sobre as doações e a não retirada do material. No entanto, até a última atualização desta desta reportagem não obteve resposta.

Via G1/DF

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Incêndio destrói restaurante em Águas Claras, no DF; veja imagens

Segundo bombeiros, fritadeira elétrica superaqueceu e pegou fogo. Um funcionário inalou fumaça e precisou ser levado ao hospital.

Ibaneis elogia trabalho da Segurança Pública do DF no 7 de Setembro: “Tudo em paz”

Graças a Deus e às forças de segurança do Distrito Federal“, disse Ibaneis ao site O Antagonista.

Com calor de 33 ºC, manifestantes terminam ato mais cedo no 7 de setembro

Pouco depois das 11h da manhã, o movimento na Esplanada era de retorno aos estacionamentos localizados no Parque da Cidade. Muitos se concentraram locais sombreados, como debaixo de viadutos ou das plataformas da Rodoviária