O diagnóstico de Atrofia Muscular Espinhal (AME) será incluído no rol do teste do pezinho, realizado nos recém-nascidos do Distrito Federal. A inclusão do diagnóstico está prevista na Lei nº 6.895/2021, de autoria da deputada distrital Júlia Lucy (Novo) sancionada nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial do DF.

A nova legislação altera as regras atuais e assegura a todas as crianças nascidas nos hospitais e demais estabelecimentos de atenção à saúde de gestantes da rede pública de saúde o direito ao
Diagnóstico de AME, na modalidade ampliada do teste do pezinho.

Segundo a deputada Júlia Lucy, o diagnóstico precoce vai salvar vidas e garantir as condições para o tratamento da doença. Lucy é presidente da Frente Parlamentar da Primeira Infância e destaca que a proteção e o cuidado dos bebês são fundamentais para um crescimento com condições plenas de saúde, segurança e educação.

​​​​​​​A AME é uma doença genética rara, progressiva e muitas vezes letal, que afeta a capacidade do indivíduo de caminhar, comer e, em última instância, respirar. A AME afeta aproximadamente um em cada 10.000 nascidos vivos e é a principal causa genética de morte em bebês. A doença começa logo após o nascimento e progride rápido, com mais de 95% de baixa até os seis meses de idade na forma mais grave.

Luís Cláudio Alves – Agência CLDF

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Restaurante Comunitário do Sol Nascente reabre para almoço e café da manhã

Contrato com a empresa que fornece a alimentação na unidade inclui, agora, a oferta da refeição matinal a R$ 0,50, de segunda a sábado, das 7h às 8h30

Parque Educador seleciona 24 escolas para o 2º semestre

Aulas começam de forma remota no dia 14 e passam a ser presenciais em outubro e novembro

Hospital de Base festeja 61 anos com mais de 1 milhão de atendimentos

Maior hospital público do Distrito Federal é referência na atenção terciária