“O príncipe que se transformou em um sapo!” Certamente, você já ouviu o caso em que a pessoa trai e, mesmo com a verdade descoberta, ela insiste que é mentira e ainda faz o outro duvidar dos seus sentimentos. Esse é típico exemplo de relação tóxica, onde o abusador manipula a vítima.

A revelação, na última sexta-feira (24), de que a empresária e ex-BBB Mayra Cardi fez em suas redes sociais sobre as traições do seu ex-marido levantaram a discussão sobre o tema na internet.

Em vídeos publicados em ‘stories’ do Instagram, ela revelou prints de conversas dele com outras mulheres, inclusive prostitutas. Ela ainda revela que as relações extra-conjugais começaram enquanto ela ainda amamentava a filha do casal, Sofia, de 1 ano.

“A quantidade de nojeira asquerosa que chegou até mim, de putaria, de desvio de caráter… Não existe a menor possibilidade. Não ouso nem falar de uma volta, é o mínimo de respeito. Se houve uma coisa que ele nunca teve por mim foi respeito. É a pessoa mais nojenta que eu já conheci na minha vida. É triste falar isso do pai da minha filha”, afirmou, visivelmente emocionada.

Abuso emocional

O psiquiatra Luan Diego Marques explica que nesses casos há muita dependência emocional e há situações em que a vítima até se desculpa para não perder o companheiro. Luan ainda ressalta que os abusos psicológicos não estão restritos apenas a relações amorosas, mas qualquer relacionamento, inclusive, no meio profissional.

De acordo com o especialista, uma das partes sente necessidade de ter o “controle” das emoções. Podendo ou não haver violência física, mas há principalmente abuso emocional. “Quando falamos em relações abusivas, precisamos identificar situações de controle do outro que vão além de meras preocupações e concessões habituais. São, por exemplo, situações em que o companheiro ou a companheira quer ditar a vida da outra pessoa. Ele precisa ter total controle sobre o outro”, diz Luan.

Este é um processo bastante desgastante não só para a relação, mas principalmente para a vítima do abuso. “Os sentimentos de amor e admiração dão lugar ao medo, que passa a ditar as ações. A pessoa vai perdendo sua identidade. Por isso, muitas pessoas têm dificuldade de terminar”, completa Marques. É muito importante que, ao identificar o comportamento abusivo, a pessoa procure ajuda profissional.

“O relacionamento abusivo pode levar a sérios problemas psicológicos, como depressão, desorientação, síndrome do pânicos e muitos outros. Em alguns casos, é preciso, inclusive, utilizar medicamentos para reduzir os danos emocionais causados”, alerta Luan.

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Brasil vê média diária de vítimas da covid-19 voltar a se aproximar de 2 mil

Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram que o número ficou em 1.997, o maior em 34 dias e uma alta de 8% em relação há 14 dias

Vacinação contra covid-19 tem apoio da Sejus em três pontos

Tanto no Recanto das Emas como em Ceilândia são aplicadas a primeira e a segunda doses

Vacina contra Covid-19 da Johnson & Johnson é eficaz contra variantes, dizem estudos

A vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson produz várias respostas…