Os trabalhadores terceirizados na limpeza e conservação dos hospitais públicos, postos de saúde e unidades de pronto atendimento (UPAs) estão em greve desde segunda-feira (13/9) devido a atrasos salariais. De acordo com o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio, Conservação, Trabalho Temporário, Prestação e Serviços Terceirizáveis no Distrito Federal (Sindiserviços-DF), ao menos 2.200 colaboradores são prejudicados com os atrasos.

Este mês, o salário deveria ter sido depositado em 6 de setembro, mas os atrasos, segundo a categoria, são recorrentes. De acordo com o Governo do Distrito Federal, o problema deve ser resolvido nesta quarta-feira (15/9).

Contudo, a presidente do Sindiserviços, Maria Isabel Caetano, explica que o impasse entre a empresa BRA Serviços e o GDF é constante. “Na saúde sempre tivemos esse problema. A lei diz que deve ser pago no quinto dia útil, mas isso não acontece e, no fim, quem mais sofre é o funcionário, que precisa pagar suas dívidas com juros. Atualmente, somente os setores do hospital totalmente necessários estão funcionando, como a maternidade. Os funcionários se organizaram em escala para manter alguns serviços”, explica.

O Correio entrou em contato com a BRA Serviços, empresa terceirizada responsável pelo repasse do salário. A BRA defende que é de conhecimento Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) que, desde o mês de abril de 2020, a “empresa vem suportando unilateralmente todos os efeitos da variação dos custos de insumos que desencadeou a necessidade de envolver uma série de recursos imprevisíveis em razão da pandemia ocasionada pela covid-19”.

“Apesar das previsões legais e constitucionais a SES-DF até hoje não recompôs os contratos, o que, somado às inconsistências entre o projeto básico e a realidade de execução, repetidos pedidos de acréscimo de serviços e força humana sem a contraprestação e atrasos nos pagamentos pela SES-DF, é que a situação de greve desaguou em prejuízo da população do DF”, pontua a nota.

A empresa defendeu que promove esforços para honrar pontualmente os pagamentos dos colaboradores e fornecer os materiais necessários para atender a população do DF. “A BRA esclarece, por fim, que o Secretário de Saúde e os Subsecretários já foram repetidamente notificados da situação”.

O outro lado

No evento Jovem Candango, realizado nesta terça-feira (14/9), o governador Ibaneis Rocha (MDB) explicou que o Secretário da Saúde, General Manoel Pafiadache, já tomou as providências. “O Secretário está empenhado nisso. Já fizemos a liberação de recursos na data de ontem (segunda) e tentamos pagar isso o mais rápido o possível. Houve um período de transição, devido a análise de todos os processos. Mas vamos fazer isso com a maior rapidez”, garantiu.

A equipe de reportagem também procurou a Secretaria de Saúde, que informou que o pagamento está previsto para esta quarta-feira (15/9). “Ao mesmo tempo, o Secretário de Saúde, no seu poder de gestão, além de determinar que fosse realizado o pagamento para evitar a desassistência e resguardar o patrimônio público, ordenou a imediata apuração de eventual motivação que possa ter ocasionado o atraso dos pagamentos para que fatos como esse não voltem a acontecer”, diz em nota.

A pasta “espera que as empresas de vigilância e limpeza garantam a plena prestação dos serviços para que não haja prejuízo para a saúde pública, e não sejam gerados transtornos e desconfortos para a população e os profissionais de saúde.

Com informações de Correio Braziliense

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Saúde contrata agentes temporários para combater a dengue no DF

Mil profissionais irão reforçar as equipes de Saúde da família e no combate ao mosquito Aedes aegypti

Terracap cede terrenos dos fóruns do Paranoá e de Santa Maria para TJDFT

Até hoje, os dois fóruns estavam pendentes de regularidade sob o aspecto imobiliário, pois não tinham o Termo de Cessão da Terracap para o TJDFT

Com alta de transmissão, Ibaneis demonstra preocupação com números do coronavírus

GDF estuda possibilidade de antecipação da segunda dose do imunizante contra a doença