Desde segunda-feira a ocupação instalada ao lado do terreno do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), na L4 Norte, passa por momentos de tensões e impasses. Isso porque a liminar que impedia o despejo dos moradores do local foi derrubada pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins.

Durante a ação, houve resistência de forma pacífica à derrubada de barracos. Na maior construção onde funcionava a Escola do Cerrado, ativistas fizeram um cerco e subiram nos telhados para impedir a demolição. A PMDF prendeu quatro integrantes de movimentos sociais durante o conflito. As alegações e circunstâncias das detenções ainda não foram esclarecidas.

Assista:

Crédito: Naya Tawane / Brasil de Fato

Trinta e cinco famílias acompanhadas pela DPDF vivem na região, incluindo idosos, crianças, pessoas com deficiência e ao menos uma gestante. Algumas delas moram há quase 30 anos no local, e a maioria trabalha como catador de materiais recicláveis.

Governo

Procurado, o GDF informou que “a retirada dos invasores da área do CCBB está embasada na suspensão da liminar que proibia as remoções”. Disse ainda que todas as famílias recebem o Bolsa Família e 27 são cadastradas junto ao Cras.

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

CoronaVac é efetiva contra a variante brasileira P1, indica estudo em Manaus

Este foi o primeiro resultado da Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, em locais onde a variante P.1 é predominante.

Ministério Público quer apurar vídeo pornográfico durante aula online no DF

O Núcleo Especial de Combate a Crimes Cibernéticos (NCyber) do Ministério Público…

Acidente deixa motociclista e pedestre feridos na EPTG

A colisão ocorreu perto do viaduto de entrada do Guará e causou grande engarrafamento na manhã desta quarta-feira (7)