O Núcleo Especial de Combate a Crimes Cibernéticos (NCyber) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) requisitou nesta quarta-feira, 7 de abril, a instauração de inquérito policial para investigar a exibição de um vídeo pornográfico durante aula online no Centro de Ensino Fundamental (CEF) nº 11, em Taguatinga.

Na terça (6) uma aula online da turma do 6º ano, que atende a crianças de 10 a 11 anos, teria sido invadida por agentes ainda não identificados e exibido aos alunos imagens pornográficas. Ainda não se sabe se a invasão foi feita por algum aluno que assistia à aula ou se por alguém com as credenciais de acesso de um estudante.

Em ofício, o Ncyber/MPDFT solicitou que a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC) apure, entre outras questões, a identidade das pessoas responsáveis pela veiculação do conteúdo pornográfico durante a aula online do CEF nº 11 na tarde desta terça-feira, 6 de abril, e se houve a invasão de dispositivos informáticos.

Os responsáveis podem responder pelos crimes de invasão de dispositivos (Art. 154 da Lei nº 12.737/2012) e pela indução dos menores a presenciar ato libidinoso (Art. 218A da Lei nº 12.015/2009).

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Vídeo: PMDF e DF Legal derrubam escola de ocupação do CCBB

Quatro ativistas foram presos por resistirem ao despejo. Escola atendia a filhos de sem-teto

Acidente deixa motociclista e pedestre feridos na EPTG

A colisão ocorreu perto do viaduto de entrada do Guará e causou grande engarrafamento na manhã desta quarta-feira (7)

GDF planeja recuperar áreas de preservação degradadas na Orla do Lago Paranoá

Serão investidos cerca de R$ 1,4 milhão em recursos vindos de parceria firmada com o Instituto Brasília Ambiental e a Fundação Banco do Brasil por meio do Programa Recupera Cerrado.