Marcelo Ribeiro Gonçalves Ferreira, de 39 anos, acusado de matar a mãe e o pai e de tentar assassinar a irmã, foi indiciado pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). Ele responderá pelos crimes de duplo homicídio e tentativa de homicídio.

Marcelo foi preso em flagrante momentos depois do crime. Com ferimentos nas mãos, ele foi encaminhado ao Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Após audiência de custódia ocorrida nesta quinta-feira (25), o juízo decidiu por mantê-lo preso. Após receber alta ele será encaminhado à Delegacia de Polícia Especializada (DPE).

O crime

Na manhã do dia 24, Marcelo desferiu facadas na mãe, Leila Ribeiro Gonçalves Ferreira, de 71, e no pai, Rubem Luiz Correa Ferreira, de 73, além de tentar ferir a irmã, Luciana Ferreira Garcia, de 53. Ele morava só. Os pais vieram de Goiânia para visitá-lo após um episódio de surto ocorrido no dia anterior. Eles e a irmã teriam passado a noite na casa dele. Quando amanheceu, Marcelo pegou uma faca na cozinha e atacou os familiares.

Testemunhas contam que no dia anterior, o homem teve um surto psicótico, correu em direção a um supermercado da região e caiu, debatendo-se. Uma enfermeira que estacionava o carro próximo ao local acudiu o rapaz e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O que se seguiu foi uma cena “de terror” testemunhada pelos vizinhos e porteiro do prédio. O pai, Rubens, estava desfalecido com a faca encravada no pescoço; a mãe, morta no corredor. A irmã levou uma facada no tórax mas conseguiu fugir da cena e pedir por socorro. Marcelo foi encontrado deitado no sofá, esperando a chegada da polícia.

A irmã segue internada no Hospital de Águas Claras. Ela recebeu um curativo no local perfurado e seu quado é estável. A Polícia Civil colheu seu depoimento para ajudar nas investigações.

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

CoronaVac é efetiva contra a variante brasileira P1, indica estudo em Manaus

Este foi o primeiro resultado da Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, em locais onde a variante P.1 é predominante.

Ministério Público quer apurar vídeo pornográfico durante aula online no DF

O Núcleo Especial de Combate a Crimes Cibernéticos (NCyber) do Ministério Público…

Vídeo: PMDF e DF Legal derrubam escola de ocupação do CCBB

Quatro ativistas foram presos por resistirem ao despejo. Escola atendia a filhos de sem-teto