Imagem: Renato Araújo / Agência Brasília

A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e a empresa Torre Digital Flor do Cerrado SPE LTDA assinaram, na manhã desta quarta-feira, 18 de novembro, o contrato de concessão de uso, por 15 anos, do Complexo Flor do Mirante, que contempla a Torre de TV Digital.

O repasse para a iniciativa privada permitirá profissionalizar a gestão do complexo, potencializar a exploração do monumento, bem como das lojas e boxes existentes, e do espaço destinado a estacionamento, que permite a realização de shows e outros eventos. O ato de assinatura foi realizado na sede da Terracap e contou com a presença do presidente Izidio Santos, e diretores, além do empresário Richard Dubois.

“Essa onda vai passar. Acreditamos que nós podemos fazer daquela área uma oportunidade de turismo, entretenimento e, ainda, melhorar a gestão”, disse Dubois, novo administrador do complexo. E acrescentou: “Agradecemos a confiança da Terracap, que nos vê como parceiros. Seu ativo será muito bem cuidado. Vai ficar em muito boas mãos”.

Flor do Cerrado

Edificada com investimentos da Terracap em 21 de abril de 2012, a Torre de TV Digital de Brasília é o último projeto de Oscar Niemeyer (1907-2012) executado antes de sua morte.

Conhecida também como Flor do Cerrado, o complexo tem uma área de 48,9 mil metros quadrados, incluindo um estacionamento para 800 vagas. A torre tem 170 metros de altura, dos quais 120 de concreto e outros 50 de estrutura metálica.

No alto da estrutura, duas cúpulas de vidro e um mirante propiciam uma das mais belas vistas da capital. O transporte dos visitantes é feito por meio de três elevadores. Além de um espelho d’água, o complexo de lazer conta com lojas e boxes em seu térreo.​

Segundo os diretores da Terracap, a concessão do complexo renderá pelo menos R$ 113,7 mil ao mês pelos 15 anos de contrato, além da economia com os gastos de manutenção do local.

O contrato assinado prevê a concessão sobre um terreno de 48,9 mil m². Ao todo, são oito lotes. Quatro deles estão ocupados pela Torre de TV Digital, já os outros quatro têm grande potencial de construção, com ampla possibilidade de implantação de atividades econômicas. O ponto turístico pode abrigar um grande complexo de entretenimento, com lojas, bares, restaurantes, cinemas, entre outros. E, ainda, pode ser palco de diversos eventos culturais, shows etc.

Visitação

A transferência da Torre de TV Digital para a iniciativa privada não vai interferir na visitação pública ao espaço. De acordo com as cláusulas do contrato, a concessionária deverá assegurar a visitação ao monumento pelo público em geral, de terça a domingo, durante um período mínimo de seis horas.

Segundo a concessionária, a visitação ao mirante da Torre Digital seguirá todas as normas de segurança durante a pandemia. Entre os serviços prestados pela nova gestão, estão: limpeza; segurança e vigilância; brigada; manutenção de elevadores; recepção e copa; manutenção de esgoto e geradores.

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

“Foi emocionante”: enfermeira foi a primeira vacinada contra covid-19 no DF

Seis profissionais da linha de frente no combate à doença foram imunizados na cerimônia desta terça-feira (19) no Hran

Ministério Público questiona o GDF sobre supostos “fura-filas” na vacinação contra a covid-19

Procuradores receberam denúncia de pessoas recebendo doses da vacina contra a covid-19 fora do grupo prioritário. Secretaria de Saúde diz que vai apurar

Indígenas Venezuelanos são acolhidos em unidade de atendimento social no DF

Famílias da etnia Warao estavam acampadas na Rodoviária Estadual e agora terão onde dormir e fazer refeições