Com o aumento das interações em ambiente digital, em razão das medidas de segurança sanitária impostas pela pandemia do novo coronavírus, a quantidade de fraudes eletrônicas também teve incremento no período. Um dos golpes mais comuns tem sido a captura da conta do WhatsApp por criminosos. O objetivo, em geral, é se passar pela vítima para a enganar os contatos da vítima e obter vantagens financeiras.

Diante desse cenário, o Núcleo de Combate a Crimes Cibernéticos (NCyber) do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios lançou a cartilha “Sugestões para o uso seguro do WhatsApp”. O documento orienta os usuários a protegerem a privacidade em ambiente digital. “WhatsApp é um dos aplicativos mais usados no mundo e, no Brasil, são milhares de usuários. Saber usar a ferramenta de forma segura e protegida é essencial para não se tornar mais uma vítima dos criminosos”, alertou o promotor de Justiça Leonardo Otreira.

Segundo detalha a cartilha, a obtenção dos números das vítimas ocorre, em geral, em sites de anúncios ou redes sociais em que o número do celular fica acessível. Os golpistas ligam para o número e, então, induzem a vítima a passar o código de verificação do aplicativo. Ao indicar a sequência, o usuário perde o acesso ao WhatsApp em seu aparelho e os criminosos passam a solicitar transferências bancárias para os contatos.

O material educativo explica também quais providências adotar caso o usuário tenha sido enganado e como proceder para que o número vinculado ao telefone celular não seja exposto a desconhecidos.

Clique aqui e acesse a cartilha.

Fique por dentro do que acontece em Brasília

Receba atualizações semanais.

Relacionados

Rolagem de dívida e FIES: um passo para a geração de uma bolha financeira no sistema educacional

“Esse modelo de educação privada, sustentada pelo crédito estudantil estatal, se mostra um grande problema não apenas no Brasil, alguns acreditam que a próxima crise do capitalismo dos EUA será diretamente impactada pelos financiamentos estudantis impagáveis” Confira a coluna de Arnaldo de Castro para o Brasiliaovivo

Projeto quer que divulgação de fake news por político seja crime de responsabilidade

Com a tipificação, o político ou agente público pode sofrer perda do cargo ou mandato e ficar inelegível

“A gente pode amadurecer, refletir e mudar”, diz Maia sobre a posição de Bolsonaro com a CoronaVac

O presidente da Câmara também destacou que tem tido um bom diálogo com Jair Bolsonaro